15 49.0138 8.38624 1 0 4000 1 https://www.nitronews.com.br/blog 300 true
Capa Instagram Live ou Facebook Live

Instagram Live ou Facebook Live? Qual traz mais resultados?

Fazer transmissões ao vivo nas redes sociais está cada vez mais comum. Sejam famosos, anônimos ou até mesmo empresas de comunicação, como rádios e programas de televisão, todos querem fazer o famoso broadcast e mostrar para o mundo instantaneamente o que estão fazendo, além de interagir com os espectadores ao longo do período em que estão online.

Mas, afinal, na hora de escolher a rede que deve abrigar sua live, quais são as opções existentes? No famoso duelo entre Facebook e Instagram, é preciso considerar não apenas o momento da transmissão, como também a popularidade, o alcance e o engajamento de ambas as plataformas.

Descubra agora qual das duas redes sociais é a melhor para o seu momento de “luz, câmera e ação”, e inove desde já as suas lives na internet!

Facebook x Instagram

Luvas de boxe: Facebook contra Instagram

Normalmente, o alcance das redes sociais está relacionado ao número de pessoas que irão visualizar um conteúdo, não a quantas vezes cada um irá assistir, mas sim quantos indivíduos serão atingidos por aquela publicação.

quando se pensa na quantidade de vezes, é abordado um novo conceito: o das impressões. Dessa forma, uma mesma pessoa consegue visualizar em inúmeros momentos um mesmo conteúdo e essa frequência será contabilizada.

O engajamento, por sua vez, mede todo o envolvimento e a interação desses indivíduos com o que foi postado, englobando os likes e comentários que foram e serão feitos.

No entanto, por que considerar esses itens para se pensar em uma transmissão ao vivo? Em primeiro lugar, é importante ter em mente que, mesmo em se tratando de duas redes sociais, a popularidade de cada uma, assim como o público que está presente nelas, é diferente. E para medir essa popularidade, nada melhor do que comparar os três itens acima.

Para se ter uma ideia, em 2016, o Facebook possuía muito mais usuários disponíveis do que o Instagram, especialmente por ser uma ferramenta mais antiga. Na época, a expectativa era de que a segunda rede estava “no caminho”, crescendo rapidamente e com grandes chances de se estabilizar em um futuro próximo. Ainda assim, o Face, como é apelidado, ainda dominava tanto a quantidade de pessoas quanto de engajamento.

Contudo, a situação mudou. O engajamento no Instagram cresceu 416% desde então e, atualmente, tornou-se dez vezes maior do que no Facebook. Dessa forma, mesmo que a maioria dos seguidores ainda se encontre na rede mais antiga, é na mais nova que toda a interação tem ocorrido.

E não apenas isso foi alterado: até mesmo as impressões tiveram uma mudança, fazendo com que as pessoas visualizem cada vez mais pelo Instagram do que pelo Facebook, o que só reforça o quanto a fama dessa rede tem se expandido.

Dessa forma, para encerrar o duelo de popularidade entre ambas, vale considerar uma pesquisa feita em 2019 pela Socialbakers, uma empresa que analisa o desempenho de marketing digital. De acordo com o estudo, o Facebook conta com 2,27 bilhões de usuários ativos mensalmente, o que mostra que ele tem uma população, por assim dizer, maior do que a do Instagram.

No entanto, ainda seguindo a pesquisa, o Insta, como é chamado pelos usuários, destaca-se no engajamento e, mesmo com um público menor, possui uma rede de interações e compartilhamentos mais ativa.

Resta, então, considerar se esses fatores são influenciadores para a live e fazer a si mesmo uma pergunta crucial: você quer quantidade de espectadores ou pessoas que irão interagir com a sua transmissão?

As lives no Facebook

Filmadora representando as lives no Facebook

Para fazer uma live pelo Facebook, o usuário precisa de um computador, um celular ou qualquer outro tipo de dispositivo. A partir daí, ele pode ficar ao vivo por até quatro horas e usar esse momento para o que achar melhor, desde coberturas de eventos até mesmo o simples fato de só interagir com o seu público.

Tendo isso em mente, quando uma pessoa começa uma transmissão por essa rede, muitos de seus seguidores são informados para que possam assisti-la e, com isso, qualquer um que clicar na página durante a live poderá visualizá-la no momento em que está sendo feita.

Inclusive, ainda existe a possibilidade de selecionar a audiência por meio de uma lista de públicos, aumentando as chances de que mais pessoas possam acompanhar o que está sendo transmitido e, consequentemente, melhorando o alcance.

Por falar nisso, uma das principais vantagens de transmitir pelo Facebook é justamente o alcance em si. Afinal, como visto acima, essa é a rede social mais usada no mundo, o que, naturalmente, já garante um bom público inicial para assistir ao que o usuário tem a oferecer durante o broadcast.

Após o encerramento da transmissão, o próprio Facebook oferece ainda a opção de salvar o vídeo e torná-lo uma postagem permanente, o que é ótimo, uma vez que o conteúdo pode funcionar em longo prazo para quem o postou, visto que os espectadores poderão visualizá-lo a qualquer momento, compartilhá-lo e interagir da melhor maneira possível.

As lives no Instagram

Filmadora representando as lives no Instagram

As lives no Instagram são um recurso inserido nos Stories. Elas podem ser feitas apenas pelo celular e têm duração diferente das do Facebook, permitindo à pessoa permanecer ao vivo somente por uma hora. Por essa razão, costumam ser mais indicadas para pequenos anúncios e interações mais curtas com os seguidores.

Tomando isso como base, quando o usuário está ao vivo, todos que o acompanham são notificados para que possam assisti-lo. Da mesma forma, caso o vídeo esteja muito popular, ele também aparece na seção Explorar, tendo prioridade e aumentando um pouco mais o alcance, visto que novos indivíduos poderão se interessar.

Ainda assim, quando o vídeo é encerrado, ele pode desaparecer ou então ficar disponível apenas por 24 horas. Dessa forma, não há como salvar suas transmissões do Instagram Live e também não há nenhuma especulação da empresa para alterar esse problema.

Contudo, o que é tido como negativo pode ter um ponto bem interessante a favor de quem está produzindo o conteúdo. É que, pelo fato de a live não ficar salva, cria-se um senso de urgência e até exclusividade para o que está sendo transmitido, atiçando a curiosidade do espectador para vê-lo depressa, enquanto o usuário ainda está, realmente, ao vivo.

As similaridades

Pessoas se cumprimentando representando Facebook e Instagram

Existem algumas semelhanças entre o Facebook Live e o Instagram Live que merecem destaque:

  • As duas redes sociais notificam os usuários para que possam assistir às transmissões.
  • Ambas contabilizam para o criador do vídeo quantas pessoas o estão assistindo em tempo real.
  • Tanto o Facebook quanto o Instagram permitem que os espectadores se envolvam com o vídeo enquanto ele está acontecendo, deixando comentários ou curtindo-o.
  • Nas duas plataformas, as lives podem ser feitas pela câmera do celular.

Isso significa que muitos dos itens necessários para um envolvimento massivo, como os usuários recebendo notificações para interagir em tempo real, são compartilhados entre as duas plataformas, tornando-as benéficas para aumentar essa interação e, quem sabe, o número de seguidores.

Essa postura é essencial, especialmente para marcas, pois disponibilizar recursos, como a transmissão ao vivo, que são bem-sucedidos nas duas plataformas para ajudar a direcionar o tráfego e o engajamento orgânico, é um benefício enorme, que trará economias em longo prazo e estatísticas positivas.

As diferenças

Pessoas brabas representando Facebook e Instagram

O Facebook e o Instagram são duas plataformas bem semelhantes. No entanto, apesar de as duas serem de propriedade de Mark Zuckerberg e ainda serem excelentes para anúncios de publicidade paga, seus recursos de vídeo ao vivo são extremamente diferentes. Examine de perto:

Facebook:

  • O vídeo pode ser salvo na página após ser terminado e qualquer usuário pode assisti-lo mais tarde, caso queira.
  • A duração máxima é de quatro horas.
  • Na parte analítica, é possível receber todas as métricas do vídeo, não apenas o número de espectadores.

Instagram:

  • O vídeo desaparece após 24 horas e não pode ser salvo na página ou assistido novamente após esse período.
  • A duração máxima é de uma hora.
  • As informações analíticas são limitadas e incluem apenas uma contabilização de quantas pessoas o estão assistindo.

Qual é o melhor?

Pessoas em dúvida entre Facebook ou Instagram

Tendo em vista que as lives no Instagram e no Facebook funcionam de maneira diferente e têm recursos diferentes, é preciso, antes de definir qual é a melhor plataforma, estabelecer estratégias para que as transmissões façam sucesso em ambas as redes, seja ela qual for a sua favorita.

Para que isso seja melhor compreendido, a abordagem neste texto será feita separadamente, a fim de esclarecer quaisquer dúvidas.

Estratégias para o Facebook

Representação de um homem e alguns gráficos

Sempre poste o vídeo na sua página logo após a transmissão. Dessa forma, se os espectadores perderam sua entrada ao vivo ou assistiram-no apenas pela metade, haverá uma chance de assistirem novamente. Além disso, essa é uma oportunidade de fazer com que a live se torne um conteúdo que funciona no seu feed para quem quiser assistir mais tarde.

Outra dica bacana é fazer o download do vídeo e publicá-lo em outras plataformas. Isso certamente aumentará seus seguidores e ajudará a espalhar o conteúdo em diferentes redes, não apenas na que a live foi gravada originalmente.

Mais uma sugestão é escrever uma descrição ou uma chamada interessante acima do vídeo, convidando as pessoas para assistirem-no, despertando o interesse e fazendo até mesmo com que se tornem espectadores em potencial. Com isso, você pode, quem sabe, abrir o leque para que eles compartilhem a sua transmissão, caso tenham gostado bastante.

E, se você quiser mesmo garantir que as pessoas vão dar um bom engajamento, já que isso não é comum no Facebook, vale a pena aplicar essa estratégia aqui: depois que o vídeo terminar, marque nos comentários os usuários que aparecem nele. Com isso, você aumentará o envolvimento, fará com que eles interajam, compartilhem e isso – quem diria – irá aumentar também as visualizações.

Estratégias para o Instagram

Representação de um homem e alguns gráficos

Como mencionado acima, utilize o senso de urgência a seu favor. Lembre-se: as lives no Instagram estão lá em um momento e então, de repente, desaparecem. Por isso, é fundamental que você use essa adversidade como um benefício.

Tenha em mente que, quando essa urgência é utilizada corretamente, há aumento na probabilidade de os usuários executarem as ações as quais você incentiva, como visitar seu site ou interagir com o anúncio que está dando. Para as empresas, inclusive, esse é um fator crucial.

Como se espera que as transmissões sejam menores no Instagram, tenha um trunfo para o caso de o seu vídeo ficar longo. De tempos em tempos, faça breves resumos do assunto para manter seus espectadores informados. Isso pode ser realmente útil para dar um feedback aos recém-chegados sobre o que está acontecendo e por que eles devem se manter assistindo.

E já que o alcance nessa rede não é tão grande quanto no Facebook, uma dica é fazer um post antes de uma transmissão, informando aos seus seguidores o momento em que entrará ao vivo, o que será abordado e outros detalhes que possam angariar mais pessoas para assistir a sua live.

Estratégias gerais

Linhas crescentes

Quando se pensa em fazer uma live, seja pela rede que for, é importante se programar para anunciar ao seu público e seguidores que aquele vídeo irá acontecer, promovendo a transmissão sempre que possível e garantindo que o máximo de pessoas terá ciência desse momento.

Assim que estiver online, durante toda a live, também é fundamental interagir com os usuários em tempo real. Saiba que um dos maiores apelos do vídeo ao vivo é que ele é dinâmico e está acontecendo no momento. Use isso como uma vantagem, conversando com os seus espectadores e respondendo a perguntas. Acredite, é uma estratégia eficaz!

Por fim, agora que foram expostos os prós e os contras de cada rede social e como driblar as adversidades expostas em cada uma delas, é possível dizer que a melhor plataforma para que a sua live seja feita é, justamente, a que melhor se adapta à sua necessidade.

Conforme estudado ao longo desse conteúdo, tudo é uma questão de engajamento e alcance, e cada um desses sites é especialista em um desses conceitos. O Facebook, como se sabe, tem alcance gigantesco, que varia entre pessoas de todas as idades, tribos. O Instagram, por sua vez, não tem tantos usuários e tem, em sua maioria, um público mais jovem. No entanto, por ter esses jovens, que interagem cada vez mais com a internet, o engajamento é ainda maior, o que não acontece com o Facebook.

Ainda assim, é importante estar ciente de outros pontos, como a existência do vídeo em longo prazo, os dados que são fornecidos – muitas vezes reduzidos no Instagram – e a quantidade de tempo que você permanecerá online. Tudo deve ser pesado na balança e extremamente considerado antes de começar a gravar.

Como se sabe, o Facebook ainda é a principal e a maior plataforma para uma transmissão ao vivo, mas uma boa alternativa para fazer essa live talvez seja comparar a sua importância à rede que será usada.

É um assunto sério, que precisa ser visto depois e demandará de mais tempo online? Escolha o Facebook. É mais informal, pode desaparecer e vai ser um vídeo curto? Opte pelo Instagram. Assim, você trabalhará com ambas as plataformas, variando a demanda do que será feito em broadcast. Então, qual delas é a sua favorita para fazer as lives? Se você gosta desse tipo de conteúdo, não deixe de compartilhar com os amigos e garantir que todos saberão as diferenças entre as duas. Boa sorte na sua transmissão!

Post anterior
O papel do email marketing em uma estratégia omnichannel
Próximo post
Como usar vídeos no email marketing

Aprenda sobre marketing digital!

Fique por dentro das novidades em nosso blog e obtenha o máximo de suas ações de marketing digital.

Email cadastrado com sucesso!