15 49.0138 8.38624 1 0 4000 1 https://www.nitronews.com.br/blog 300 true
Investir em bitcoin 2021

Investir em Bitcoin em 2021 vale a pena?

Em algumas conversas, o Bitcoin não precisa de introdução e fala por si mesmo. No entanto, embora exista há mais de uma década, muitas pessoas ainda não sabem exatamente o que ele é.

Um fato, é que o Bitcoin tem trazido discussões acaloradas entre investidores, analistas e multibilionários ao redor do mundo.

Há quem pense que o Bitcoin vai substituir o nosso dinheiro e revolucionar nossa forma de gastá-lo. Outros acreditam que simplesmente vai desaparecer em algum ponto. Então a pergunta é: investir em Bitcoin em 2021 vale a pena?

Continue lendo para saber o que afinal é o Bitcoin, quando ele surgiu e se vale a pena investir nessa criptomoeda em 2021.

O que é Bitcoin (BTC)?

Para falar de forma bem simples, o Bitcoin é um dinheiro eletrônico. Ou seja, não é algo que existe fisicamente, como uma nota ou uma moeda, mas existe virtualmente: e seu valor aumentou mais rápido do que o de qualquer outra mercadoria conhecida pelo homem.

Como as moedas físicas, o valor do Bitcoin aumenta ou diminui todos os dias. Isso significa que você pode comprar um valor hoje e ter muito mais amanhã, conforme a criptomoeda valoriza.

Há quem invista seriamente em Bitcoins, tratando como um mercado de ações e defendendo que essa é a maneira mais nova de ficar rico.

Há quem tenha investido em Bitcoins quando o valor era irrisório e até esquecido da existência deles. Ou mesmo quem tenha ganho quando não valia muito e agora está vendo muito dinheiro.

O adolescente Erik Finman, de Idaho, nos Estados Unidos, começou a investir em Bitcoin em 2011, quando tinha apenas 12 anos. Ele tinha ganhado U$1.000 de presente da avó e comprou 83 Bitcoins por U$12 cada. Hoje, ele tem 403 bitcoins em carteira, o que equivale, com a valorização da moeda, a mais de 1 milhão de dólares.

O Bitcoin, no entanto, é uma dentre muitas moedas digitais em que você pode investir, agora conhecidas como criptomoedas.

Quando surgiu o Bitcoin?

O Bitcoin apareceu em 2008. A ideia era criar um novo dólar digital que não estaria sob a guarda de terceiros, como bancos, governos ou outras organizações que cobram taxas para administrar nosso dinheiro.

Além disso, as transações com bitcoin podem ser visualizadas por qualquer pessoa, mas os consumidores podem permanecer anônimos. Assim sendo, qualquer moeda pode ser rastreada até o momento em que foi criada pela primeira vez e quando e quanto o seu valor mudou ao longo do tempo.

Como há uma tecnologia bem complicada no registro das informações sobre as moedas, transações desonestas com Bitcoins são praticamente impossíveis, o que é mais uma proteção para quem investe nessa criptomoeda.

Como qualquer investimento, no entanto, há riscos envolvidos. Sua carteira é uma conta online, é eletrônica e protegida por códigos e senhas de difícil acesso caso você esqueça ou perca. Não é como quando você perde sua carteira e pode ligar para o banco e pedir novos cartões.

Um empresário de Barbados (América Central), Gabriel Abed, perdeu 800 Bitcoins (cerca de US$ 25 milhões) quando um colega formatou, em 2011, o notebook que continha as chaves privadas da sua carteira.

Apesar da perda, o empresário continuou trabalhando com criptomoedas e hoje possui mais do que o valor perdido.

Já o programador e empresário Stefan Thomas ganhou 7.002 Bitcoins em 2011 (cerca de 7 mil dólares na época) por ter feito o famoso vídeo “What is Bitcoin”. Ele guardou as senhas em um dispositivo chamado Iron Key… E acabou perdendo a senha de acesso ao IronKey, que dá ao proprietário 10 chances de acesso. Ele já tentou 8, sem sucesso.

Já existem milhões de Bitcoins perdidos em situações assim, onde as pessoas esqueceram ou perderam as senhas de acesso às suas carteiras.

Embora, como apontamos anteriormente, seja praticamente impossível fazer transações desonestas com bitcoins, também existem golpes e fraudes no mundo das criptomoedas. Por isso, o anonimato é bastante comum, protegendo a identidade de pessoas que acumularam fortunas e evitam chamar a atenção de hackers e ladrões de identidade.

Por conta disso, é importante pesquisar se uma troca de moedas ou site para transação de Bitcoins é legítimo antes de investir seu dinheiro.

Uma chance para todos

Embora seja famoso em um clube bem exclusivo de milionários e bilionários que investem em criptomoedas, o Bitcoin foi disponibilizado ao público em 2009. Após o Bitcoin, surgiram diversas outras moedas criptográficas, mas o Bitcoin é a original, enquanto as outras, como Ethereum (ETH), Polkadot (DOT), Chainlink (LINK) e Litecoin (LTC) são vistas como moedas alternativas.

Para se ter uma ideia da valorização do Bitcoin, quando a criptomoeda surgiu, ela valia US$0,0008 cada. Hoje, bate a incrível marca de 57.450 dólares americanos.

Ou seja, quem investiu em um grande número de Bitcoins ainda no início, agora está realmente MUITO rico. E agora, bem… Certamente não é mais tão acessível quanto antes.

Um clube extremamente exclusivo da alta sociedade online

Clube exclusivo da alta sociedade online

O Bitcoin vem sendo alvo de acalorados debates na alta sociedade: recentemente, os bilionários Bill Gates e Elon Musk se pronunciaram sobre a criptomoeda.

No início de fevereiro de 2021, Musk informou ao mercado que a Tesla investiria R$1,5 bilhão em Bitcoin. Isso fez com que a moeda subisse de valor, sendo comerciada por mais de 44 mil dólares americanos.

Essa foi a segunda vez que o bilionário elevou o valor do Bitcoin. No fim de janeiro, ele alterou a descrição de seu perfil no Twitter para “#bitcoin”, fazendo com que a moeda valorizasse em quase 20%.

Bill Gates, por sua vez, advertiu as pessoas de que, se elas não possuem tanto dinheiro quanto Elon Musk, devem tomar cuidado com investimentos em Bitcoin.

Uma matéria da Forbes apontou que, em um bate-papo no Clubhouse — rede social ainda bem exclusiva onde só é possível entrar com um convite — o fundador da Microsoft disse que não investiu pessoalmente em Bitcoins.

A questão sobre a criptomoeda é que, assim como investimentos no mercado de ações, investir nela é lidar com volatilidade.

Por que investir em Bitcoin?

Agora que você sabe o que é Bitcoin, pode estar se perguntando por que investir na criptomoeda. Separamos algumas informações que podem animá-lo.

Cada vez mais pessoas estão adotando Bitcoin

O Bitcoin está se tornando cada vez mais corriqueiro globalmente. O número de usuários de carteira Blockchain aumentou constantemente em 2020 e continua apontando para essa direção.

Pense que, no último ano, a empresa mostrou um aumento de 45 milhões de carteiras para mais de 67 milhões.

Também cresce o número de pessoas comprando bitcoins pelo Cash App, cuja receita disparou para 1,63 bilhão de dólares, com um lucro bruto de 32 milhões de dólares no terceiro trimestre de 2020 (aumento de 1000% em relação ao mesmo período do ano anterior).

Com isso, o PayPal acelerou sua entrada no jogo e agora permite que clientes qualificados comprem, vendam e mantenham Bitcoins em suas carteiras. A ideia é que em breve os comerciantes do PayPal possam aceitar criptomoedas como método de pagamento.

Wall Street também está entrando no jogo

Wall Street entrando no jogo

O Bitcoin foi a classe de ativos com melhor desempenho em 2020, mesmo com a crise global provocada pelo covid-19.

Assim sendo, o desempenho do Bitcoin chamou a atenção de Wall Street e, em meados de 2020, a MicroStrategy anunciou um investimento de 250 milhões de dólares em Bitcoin como parte de uma estratégia de alocação de capital. Desde então, a empresa aumentou o investimento na criptomoeda para 1,145 bilhão de dólares.

Isso mostra uma tendência de que o Bitcoin seja uma reserva confiável de valor e um investimento atraente com grande potencial de valorização ao longo do tempo (muito mais do que dinheiro físico).

Seguindo o exemplo, a plataforma de pagamento Square investiu 50 milhões de dólares (1% de seus ativos totais) em BTC.

À medida em que o Bitcoin começa a mostrar um grande potencial de adoção global, mais empresas embarcam na criptomoeda.

As oscilações de preço do Bitcoin, no contexto de Wall Street, são, na verdade, vistas com bons olhos: afinal, é mais um sinal de que essa pode ser uma tendência de longo prazo.

Historicamente, o Bitcoin sempre superou seu recorde anterior depois de sofrer uma queda de preço e se recuperar

Gráfico da valorização histórica do Bitcoin

Se a oscilação de valor do Bitcoin lhe preocupa, resta analisar o histórico de preço da criptomoeda: sempre que o preço baixa, na recuperação, o valor ultrapassa o recorde anterior. Isso significa que nada aponta que isso não vá acontecer novamente.

Assim sendo, a estratégia de muitas pessoas tem sido investir apenas o que pode perder, lidando com um risco de perda mais contido e com a possibilidade de um aumento substancial.

Ignorando a crise do coronavírus

Mais um ponto positivo para o Bitcoin foi sua rápida recuperação mesmo diante da crise do coronavírus.

Em janeiro de 2020, o Bitcoin em dólar subiu mais de 30%, o melhor primeiro mês desde 2013. Com a crise do coronavírus, a criptomoeda caiu 25% em março. No entanto, no fim de abril já havia se recuperado, ficando bem estável desde então.

No Brasil, com a disparada do dólar, o Bitcoin teve um desempenho ainda melhor: hoje, vale 314.112,20 reais.

Para alguns analistas, essa baixa volatilidade no momento pode sinalizar um próximo movimento positivo. A expectativa, portanto, é a de que o Bitcoin siga valorizando.

Esse desempenho tem dado cada vez maior legitimidade ao BTC, tornando-o um excelente candidato como investimento alternativo.

Vale a pena investir em Bitcoin em 2021?

Como vimos até aqui, o Bitcoin de fato sofre diversas flutuações, com momentos de alta e de baixa. Porém, embora não haja uma projeção de que substitua de fato o dinheiro físico, vem se mostrando uma forte tendência global, com cada vez mais grandes empresas e figuras multimilionárias investindo na criptomoeda.

Então, a pergunta que fica é: vale a pena investir em Bitcoin em 2021?

A resposta mais honesta é a de que não há uma resposta definitiva, já que tudo envolve objetivos pessoais, estratégias de alocação de recursos e, claro, a tolerância ao risco.

O que é certo é que o mercado de criptomoedas é muito dinâmico e, assim como o mercado de ações, exige muito preparo psicológico, já que sua volatilidade é difícil de prever, impedindo previsões a longo prazo.

Entretanto, ainda assim, o Bitcoin vem sendo cada vez mais adotado em todo o mundo o que, por si só, já indica alguma coisa. Diversas plataformas começam a aceitar a criptomoeda como pagamento, ampliando seu uso.

A Tesla, por exemplo, afirma ter comprado Bitcoins para ter mais flexibilidade e diversificar e maximizar o retorno sobre o caixa, além de também apontar que vai começar a aceitar pagamentos em Bitcoin em troca dos seus produtos.

Mesmo a Microsoft, apesar a postura de Bill Gates, começou a aceitar o Bitcoin. E diversos outros segmentos estão caminhando na direção dos pagamentos criptográficos.

O que você deve realmente se perguntar é a viabilidade do investimento com base na análise de seus dados financeiros. Não existe um investimento 100% seguro, já que todo investimento traz o risco de perder dinheiro.

Com criptomoedas, os riscos são maiores, mas a chance de um sucesso disparado também é real. A compreensão desses riscos é o principal ponto para tomar uma decisão estratégica, já que Bitcoin pode resultar em grandes lucros.

Assim sendo, para quem deseja investir em Bitcoin, a melhor estratégia é investir apenas o dinheiro que puder perder sem comprometer sua saúde financeira — mas, provavelmente, a melhor jogada é fazer a sua aposta.

E então, gostou desse conteúdo?

Se sua empresa investe em Bitcoins e resolveu aceitar transações com a criptomoeda, imagine atrair mais clientes nessa modalidade com inbound marketing?

Fontes:

https://einvestidor.estadao.com.br/colunas/fabrizio-gueratto/bitcoin-salta-com-elon-musk

https://forbes.com.br/forbes-money/2021/03/bill-gates-emite-alerta-sobre-o-bitcoin-enquanto-elon-musk-alimenta-euforia-com-precos/

https://www.infomoney.com.br/mercados/bitcoin-ignora-crise-do-coronavirus-salta-72-no-semestre-e-analistas-acreditam-em-mais-altas-em-2020/

https://www.infomoney.com.br/mercados/adolescente-fica-milionario-aos-18-anos-usando-bitcoins-apos-fazer-aposta-com-os-pais/

https://portaldobitcoin.uol.com.br/a-historia-do-homem-que-perdeu-uma-senha-e-nao-consegue-recuperar-r-1-bilhao-em-bitcoin/

Capa importância dos cliques
Post anterior
A importância dos cliques em email marketing
6 dicas para alavancar seu negócio
Próximo post
Estratégias de Marketing: Veja 6 dicas para alavancar seu negócio

0 Comentário

    Deixe uma resposta

    Aprenda sobre marketing digital!

    Fique por dentro das novidades em nosso blog e obtenha o máximo de suas ações de marketing digital.

    Email cadastrado com sucesso!